QUE CHAPÉU ESTÁ A USAR? | Mastering Alchemy

QUE CHAPÉU ESTÁ A USAR?

QUE CHAPÉU ESTÁ A USAR?

Excerto de Spirit Matters: Down to Earth Tools for a Spirited Life
 
A pedra áspera estava enterrada bem no fundo da terra. Ao entrar pelo buraco escuro Jamie foi encontrá-la coberta de sujidade, quase irreconhecível. Até a ter escovado, podia passar por um bocado de alcatrão. Uma vez limpa, era evidente que se tratava de uma pedra preciosa, embora não soubesse o seu verdadeiro valor. Já fora do buraco e sentado ao sol, ponderava sobre a sua colecção de tesouros. Esta pedra era diferente. Tinha algo de especial. De certa forma destacava-se das outras. Decidiu ter a opinião de um especialista assim que regressasse à cidade. Reuniu as suas coisas e deixou o desfiladeiro.
 
Uns dias mais tarde Jamie voltou a encontrar a pedra, desta vez por baixo de uma pilha de roupa suja. Voltou a ficar intrigado e isso despoletou a sua imaginação. Levou-a até ao melhor joalheiro da cidade. O joalheiro olhou para ela por uns breves momentos - demasiado breves. Jamie sentiu-se envergonhado de levar um bocado de alcatrão a um profissional e interromper a sua agenda ocupada. O especialista avaliou-a como sendo quartzo comum; nada que valesse mais do que alguns cêntimos e atirou-a desrespeitosamente para cima do balcão.
 
Jamie voltou a levar a pedra a outro especialista; uma mulher que simplesmente lapidava e cortava pedras. Pegou na rugosa companheira de Jamie e disse que gostava de ver “o que estava no seu interior”. Sem relutância o rapaz deixou-a lá para a ir buscar no dia seguinte. Ás 9 da manhã, assim que a senhora abriu aporta Jamie estava à espera. Estava obviamente ansioso por saber o resultado enquanto a senhora se concentrava no seu café da manhã.

O que acabou por colocar na sua mão transpirada, não foi um pedaço de alcatrão. Também não foi quartzo comum. O que a humilde lapidadora entregou a Jamie foi uma multifacetada e cristalina pedra preciosa: devolveu-lhe Luz.

* * *
Observe qualquer pedra lapidada. Tem muitas faces e cada uma reflecte uma imagem e luz diferentes. Assim somos nós. Somos seres multifacetados. Somos amantes, jardineiros, empregados e patrões. E por trás de cada papel existe um sistema de pensamentos e regras. Quando somos jardineiros, pensamos de maneira muito diferente do que quando somos gerentes de um escritório. O nós/jardineiro pensa de maneira muito diferentes do nós/gerente-de-escritório. O nós/amante, tem pensamentos muito diferentes do nós/empregado. Cada face é uma parte do seu único todo. Cada face reflecte uma parte única de quem nós somos. Cada face é simultaneamente suficiente por si só e parte integrante do todo. Lembra-se de quando estava no jardim infantil e punha um chapéu na cabeça passando a representar aquele papel instantaneamente? Podia ser um bombeiro, um pirata, um enfermeiro ou um cowboy sempre que quisesse. Trata-se aqui do mesmo conceito, como se fossemos adultos num jardim infantil.

Vamos partir do pressuposto que neste momento temos uma serie de assuntos pessoais que estão a pedir a nossa atenção. O nosso companheiro está stressado e talvez vá ser diagnosticado com uma doença; o nosso chefe está muito mal-humorado e sentimo-nos gordos e sem energia. A nossa mãe vem visitar este fim-de-semana e a casa está numa confusão; estamos preocupados com algo que dissemos a um colega e acabaram de nos pedir para fazer uma apresentação de trabalho. Improvisação.

Liderar uma reunião de trabalho com sucesso requer um certo e especifico sistema de pensamento e de focagem de atenção. É importante estarmos em modo de negócios quando estamos a negociar e em modo de diversão quando estamos a brincar. Não vamos usar o nosso boné de basebol no escritório, nem o chapéu de trabalho em casa, porém fazemo-lo a toda a hora. Usamos chapéus inapropriados constantemente. Usamos o nosso chapéu das relações no trabalho e estamos preocupados com o drama que temos em casa, causando erros e baixa produção. Levamos o nosso chapéu do trabalho para a cama e perguntamo-nos porque será que o nosso companheiro já não está satisfeito.

Alguma vez lhe aconteceu ir a conduzir para um determinado lugar e de repente perceber que deixou passar a saída? A sua atenção não estava focada na tarefa do momento que era conduzir. Você e a sua atenção estavam ocupados com outra coisa. Muitas vezes estamos preocupados e agitados enquanto conduzimos. A próxima Ferramenta de Energia vai-nos ajudar a focar a nossa atenção completamente na circunstância corrente seja ela qual for. É uma ferramenta que nos traz a atenção de volta para aquilo que precisamos e nos prepara para resultados de maior sucesso, sejam eles no basebol ou em reuniões de direcção. A sua família irá beneficiar mais da sua atenção e você irá tirar mais partido do seu negócio ao focar nele mais da sua atenção e criatividade.

Ferramenta de Energia = Chapéus

Como exemplo neste exercício, vamos assumir que queremos estar mais focados quando estamos a trabalhar.

  1. Arranje alguns minutos e sente-se. Feche os olhos para poder focar-se melhor e vá para o Centro da Sua Cabeça.
  2. Respire. Diga “Olá” ao seu Cordão de Enraizamento. Dê-lhe o comando de atrair magneticamente para ele todo o ruído que tem na sua mente neste momento. Leve um ou dois minutos aí sentado, libertando tensões e barulho.
  3. Se vierem à mente pensamentos e barulhos que o distraiam, pegue neles e deite-os pelo Cordão.
  4. Imagine como o seu chapéu dos relacionamentos ficaria na sua cabeça agora. Invente e aceite a primeira coisa que vier à cabeça. Tire esse chapéu e coloque-o no lugar da frente do seu carro que está parado no parque de estacionamento da sua companhia. Pode ir lá buscá-lo mais tarde se quiser.
  5. Respire e volte para o Centro da Sua Cabeça.
  6. Repare noutro chapéu que esteja a usar e que não seja relacionado com o trabalho. Por outras palavras, que mais está na sua mente?
  7. Imagine como lhe ficaria esse chapéu e deixe-o lá fora.
  8. Continue a identificar e a remover chapéus até que não veja mais nenhum e a sua mente esteja mais calma. Eis alguns chapéus que é capaz de encontrar na sua cabeça: irmãos, pai/mãe, filhos, estudante, patrão, treinador, organizador de festas, mulher-a-dias, canalizador, génio de computadores ou professor.
  9. Visualize como será um chapéu de trabalho. Torne-o divertido ainda que profissional. Coloque-o na cabeça usando as suas mãos imaginárias. Assegure-se de que é confortável.
  10. Diga ao seu corpo para se identificar com o chapéu. Pare e repare em todos os pormenores. Permita que o seu corpo se ajuste e se movimente de forma a identificar-se com a intenção de ir fazer negócios. Pode ser que queira ficar mais direito ou respirar fundo.
  11. Diga à sua mente ou ao seu Ser Mental para se identificar com o chapéu. Espere.
  12. Diga ao seu Ser Emocional para se identificar com o chapéu. Espere.
  13. Respire fundo, abra os olhos e vá para a sua apresentação com Segurança e com Certeza.

Pedir ao seu corpo físico e emocional para participarem e se igualarem ao seu Chapéu é como desafiar um grupo de crianças a representarem um papel no teatro da escolinha. A equipa está pronta nos bastidores e preparada para trabalhar em conjunto para um fim comum.

O que se passa dentro da sua cabeça é o que dá o mote para o que vai experienciar. Você é aquilo que pensa. Melhor ainda: você é o chapéu que está a usar.

Por Jim Self e Roxane Burnett